logoviagem

logoviagem

terça-feira, 4 de setembro de 2012




Ushuaia - Alaska


O que devemos fazer após uma empreitada dessa? Fácil, continuar sonhando para logo em breve por em pratica a próxima aventura que será ainda melhor.
Meu Primeiro Livro

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O homem que partiu jamais voltou ...




O homem que parte em uma longa jornada tem como única opção a chegada. Quem sabe nem chegue ao lugar planejado inicialmente, mas com certeza, chegará a algum lugar.

O homem que parte também não poderá voltar jamais, mesmo porque, nem o tempo e nem o espaço serão os mesmos; sequer será o mesmo aquele que partiu. Deixará para trás alguns hábitos, pensamentos, certezas, algumas dúvidas, medos e temores. Durante a jornada o homem que partiu irá adquirir experiência, novos hábitos, ele terá novas histórias acrescentadas aos seus dias de vida. Vida curta e que passa repentinamente. Vida efêmera na esperança que os feitos permaneçam e termine por moldar e fazer surgir sonhos naqueles que souberam de suas histórias.

O homem que partiu teve a grata satisfação de sair do tubo em que vivia. O tubo da rotina que maltrata e assola tanta gente. São muitas as desculpas para viver dentro do tubo, mas quem sabe um dia a liberdade alcance até mesmo o mais temeroso dos homens e o faça saber que há uma vida cheia de preciosidades a serem descobertas fora do tubo.

Uma curva, outra curva, mais uma curva, milhares delas. – Ei! Senhor, quantas curvas ainda terei pela frente? – Meu caro jovem, as curvas não acabam jamais. Elas apenas se sucedem harmoniosamente uma após a outra. As vezes somos quase que ludibriados por retas intermináveis, repentinamente a curva surge e teremos que está preparados para acompanhar seu traçado pré definido, elaborado, estudado, tudo isso, para evitar quem sabe um precipício, uma lamaçal, uma enorme rocha firmemente fincada em outras menores que nos obrigará a contorná-la. – Entendi! Então assim é a vida? – Sim! Cheia de curvas, mas também têm altos e baixos, subimos e descemos obedecendo a traçado do terreno percorrido.

O homem que partiu continua a jornada, ele não pode parar. Tal qual a semente plantada que um dia irá produzir centenas, milhares de outras sementes. Cada uma brotará e a vida seguirá seu curso, a eterna constância da vida; a mudança.

Por isso, o homem que partiu apenas foi. Jamais voltou de nenhuma de suas viagens de aventura. Continua indo e a cada dia partindo em busca de um novo tesouro escondido a ser descoberto.

A cada dia todos nós partimos um pouco, mas chegará o dia em que partiremos definitivamente apenas para dar continuidade a jornada que um dia foi iniciada como dádiva.


O homem que partiu jamais voltou ....



quinta-feira, 7 de junho de 2012

Castanhal - Rumo a vida que passa ....

 Em casa com a familia .....


 Odometro na saída ...


Odometro na chegada em casa ....


Termometro na chegada. Isso porque estava o maior temporal, muita chuva ...




Agora sim, em casa com a familia e já recebendo as ligações dos amigos mais chegados. Muito bom saber que o desfio foi cumprido a risca. A viagem foi muito, muito melhor do que eu esperava. Essa foi realmente pra ficar na história, para contar aos netos quem sabe um dia. Como consegui levar uma BmW K 1200 LT até Ushuaia, sobre o gelo e neve, com 400 quilos e ainda voltar ileso sem nenhum arranhão apesar da quantidade de quedas .... Perdi a conta.

Que dia feliz - Oh! Happy day .... Sim! Ao som de Country Roads take me home, cheguei em casa e toda a família estava preparada esperando. Só agora soube de como todos ficaram preocupados com as quedas e os vídeos que postei mostrando a dificuldade que era fazer aquela travessia sobre o gelo e neve intensa.

Mas é isso, agora todos sabem que é possível sim, mas não fácil. Sei que muitos irão seguir o mesmo caminho e se aventurar - Ushuaia no inverno. Já recebi vários emails pedindo alguma informação. Só desestimulei meu amigo Valdir que quer ir com garupa, ai não aconselhei, mas vai disposição dele de correr o risco.

Já tenho uma serie de artigos, pequenas notas que irão parar no próximo livro, mas de ante mão irei publicar alguma coisa aqui no blog nos dias seguintes.

Hoje foi um dia difícil de trafegar com a moto. Depois que entrei no Tocantins a estrada parece território sem lei. Três estados muito difíceis - Tocantins, Maranhão e Pará. O respeito é nenhum com o motociclista. Caminhoneiro te joga para fora da pista o tempo todo e até carros pequenos fazem isso. O cara vem lá no seu fiat quadrado, olha e mete a cara esperando que você pare para o desgraçado infeliz passar. "Abram alas, ai vai mais um imbecil trafegando na estrada sem lei". Geralmente, esses pagam com a própria vida, é o preço cobrado pelo desrespeito a vida alheia, a sua própria.

Mas o que importa, o que interessa mesmo, é que aqui estou eu. Em casa, sem acreditar muito bem que tudo deu tão certo, exatamente como foi planejado. Queria uma aventura única e marcante, mas que eu pudesse ir e depois ir novamente para casa. Isso, ir e ir, nunca voltar; jamais voltei de viagem alguma, eu só fui. Fio a Ushuaia e depois fui para a minha casa ... Voltar não é possível. Mas depois escrevo detalhadamente sobre esse assunto. "O Homem que Partiu jamais voltou ...."

Agora vou comer um bom pedaço de bolo de fubá que tanto gosto. Amanhã um açaí com camarão seco e quem sabe algumas pupunhas ...   hehehehehe

Grato a todos que acompanharam e deram muita força. Houve um momento que realmente, os emails me alimentaram e me fizeram seguir renovado no dia seguinte, mesmo sabendo que seria mais dificil ainda.

Fiz isso não para provar que sou forte, o melhor, o mais isso ou aquilo, mas sim, para poder dizer a mim mesmo - me superei mais uma vez, mesmo em algum momento achando que não conseguiria terminar a jornada que me era muito pesada. Gygamalys foi derrotado porque nao perdi tempo em nutri seus ataques diários que me faziam tremer na base. A cada queda, a cada derrapada, a cada tombo, a cada titubeada, ele me jogava na cara; - Viu que eu te avisei? - Desista e vá para a sua casa - Não vale a pena tanto esforço - Por que está fazendo isso? Quase cheguei a acreditar que seus argumentos eram convincentes e reais, mas não, eram apenas investidas baratas, tentativas vãs para poder descobrir qual o limite daquele que se dispõe a sair da fase do planejamento e por em pratica o sonho, o ideal, a meta, o objetivo a ser conquistado. Há um preço? Claro! Há um valor a ser investido para que possamos colher os dividendos centenas de vezes mais. Mas esse investimento não é financeiro, não em moeda, nao em metais, mas em esforço próprio, persistência, determinação, coragem para sair do porto seguro e se aventurar em mar aberto ... 
O que enfrentei não foi o vento, esse foi superado; não foi a neve; não foi o gelo, a escarcha; não foram as curvas intermináveis; não foi o frio que me fazia tremer tanto. O que enfrentei foi algo muito mais forte e que está dentro de cada um de nós, o desconhecido. Esse, só se revela aos que ousam desafia-lo e sair em campo aberto rumo ao mundo real.


Oh! Happy day ....


Country Roads, take me home.....

Almost heaven, West Virginia
Blue Ridge Mountains, Shanandoa River
Life is old there, older than the trees
Younger than the mountains, growing like a breeze


Country Roads, take me home
to the place I belong
West Virginia, mounty mamma
Take me home, country roads


All my memories gathered 'round her
Miner's lady stranger to blue water
Dark and dusty, painted on the sky
Misty taste of moonshine, teardrops in my eye
I hear her voice in the morning when she calls me
Radio reminds me of my home far away
Driving down the road I get a feeling that I
should have been home yesterday, yesterday

















quarta-feira, 6 de junho de 2012

Jaragua - Araguaina - Rumo a Castanha l...


 Uma fotinha das antigas ....

Daqui a alguns poucos quilometros já estarei em casa. Mas não acaba ainda, começa o plenejamento de uma nova aventura. Já tenho uma vaga ideia de onde e como será, mas vamos esperar. rs rs rs

Hoje estou em Araguaina e ontem dormi em Jaragua sem internet para atualizar as noticias da estrada.


Nos dois lados do continente  .....

Depois de amanhã já não terei mais que acordar tão cedo. Vou sentit falta da estrada, dos momentos solitarios, das reflexões, do sentimento aflorado. Claro! Mas também estarei com a familia, revendo os amigos e compartilhando toda a experiencia vivida. Não dá pra ficar com tanta coisa maravilhosa guardada a sete chaves. Quem sabe até repassando informações para algum candidato a aventureiro que queira também encarar o gelo, a escarcha, a neve, o vento, o frio, o medo. Sim! O medo também nós acompanha de perto, deve está sob controle para que tudo de certo e com saldo positivo.

Quanto vale? Não tem preço. Não há dinheiro no mundo que pague uma experiencia tal qual a que acabo de vivenciar. Sem duvida alguma, eu pagaria dez, vinte, ou sei lá lá quantas vezes mais somente para ter uma unica oportunidade dessa na vida. E eu tive ....

Muitos tentaram me fazer acreditar que não seria possivel levar uma moto tão grande a Ushuaia no inverno. Mas muitos também disseram que a Boulevard 1500, uma moto custom, não chegaria ao Alaska. Mas foi e voltou....

Os dias parecem já ter voltado a normalidade. Todos os dias quase iguais, sem muita novidade, há não ser que busquemos um pouco mais. Tenho feito isso conversando com as pessoas que encontro pela estrada a fora. Muitos curiosos, alguns perguntam, outros apenas olham, mas dentro de cada um fica despertada uma possivel crença de que um dia também poderão fazer algo parecido. Sair em busca da porção perdida que está dentro de cada um.

Hoje encontrei um desses curiosos que despejou uma quantidade enorme de pergunta em poucos instantes, mas sempre que dizia ser essa sua vontade, sair a viajar por esse "mundão", a vó prontamente o desistimulava de pronto. - Voce não vai a lugar nenhum menino, isso é muito perigoso.
As pessoas pensam que ficando paradas dentro de casa estão seguras, ledo engano. Talvez não sejam apanhadas por uma nevasca em uma região inospita do planeta, mas há outros perigos a espreita.

 Bom! Amanhã espero fazer uma postagem já usando meu computador, na minha casa. Tenho muito a contar e compartilhar com os amigos e todos os que acompanham minhas aventuras.







terça-feira, 5 de junho de 2012

Americana SP - Rumo a Castanhal ...

 Revisão de novo ....
 Jantar no motel - Antes.
Jantar no motel - Depois ....   hehehe


Hoje foi dia de revisão da moto. Sai até cedo de Registro São Paulo, a intenção era chegar as 8 da manhã em Americana e ao meio dia sair rumo ao meu destino, Castahal - Pa. Mas planos nem sempre saem de acordo com a vontade. Logo na entrada do rodo anel, dei um vacilo de leve e ja fui parar no meio do transito pesado e tendo que fazer um retornos de uns varios quilometors. Mas ai entrei de volta na rodovia e logo cheguei a Americana, as 10:30 da manhã. Um transito já pesado e eu tentando andar no corredor com os moto boys buzinando na minha traseira.   hihihih

O Mecanico começou a troca de oleo, todos os oleos da moto foram trocados, pastlhas de freio tambem, mais alguns ajustes devidos as varias quedas. As 23h a moto ficou pronto. Sai logo em busca de um hotel, a coisa mais dificil de se achar hoje em Americana, não tem vaga porque ha um evento de vaqueiros e a cidade ta com todos os hoteis ocupados. Ai claro, lembrei da velha tatica, dormir em motel. È barato e bem legal. Achei um por 48 reais o pernoite com café da manhã. Motel Torres em Americana. So o luxo .....  heheh    E eu sozinho, claro ne! Sou casado e a esposa ta em casa lendo o Blog.   uhuh!!!

Um jantar de leve, file de frango para mudar de cardapio Argentino, Pollo com Papa frita.   hihihihi

Amanhã se der vontade saio cedo, se não, fico mais um pouco no motel a beira da estrada.

Faltam muitos quilometros ainda até chegar em casa, mas pelo menos já estou no Brasil, comendo comida Brasileira e ouvido o povo falar portugues. Vamo que vamo !!!!!

To so pegando chuva .... Tomara que amanhã faça um solzinho de leve, nada de derreter muleira.


Manhã tem mais povo.

domingo, 3 de junho de 2012

Registro SP - Rumo a Castanhal ...

Isso ai Galera - Hoje cedo eu estava no Rio Grande do Sul. Tomei meu café em Santa Catarina, lanchei no Paraná e agora vou Jantor aqui em Registro já no Estado de São Paulo.

Sem fotos novas hoje. Essa tal BR 116 é muita tensão. Caramba! Caminhao de mais e todo o mundo com muita pressa. Curva pra lá, curva pra cá e sai da frente que atras vem caminhão de novo. heheheh

Amanhã cedo em São Paulo fazer a revisão da moto e continuar a jornada.

Ontem a dormida foi em Osorio, terra dos bons ventos diz a placa por lá e parece que é mesmo. A noite o vente forte na janela e por isso passei a noite acordando e ainda tendo pesadelo com a moto derrapando. hehehe

Hoje um susto com gelo na pista. uhuh!! Será que to traumatizado? Vinha tranquilo e havia chovido, lá longe um trilho na estrada e bem no meio arreia, parecia de mais como se fosse gelo. Tremi na base de novo, mas rapido me recuperei, era só uma miragem. Havia o trilho e a areia, mas gelo não ... Afinal, isso já era em Santa Catarina.  rs rs rs

Esses dias to sem internet, foi só entrar no Brasil e já começou a dificuldade. O hotel diz que tem, mas na hora de usar, nada. Hoje tive que usar o computardor do hotel mesmo que a tal WIFI nao anda ....

Uma fotinha de frio pra não esqueçer ...  heheh  Ainda tem as mais, mais, que só vou postar depois que chegar e selecionar.


Quem colou seu adesivo ai também é só localizar ...

Parado, pensando no que fazer .....

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Uruguaiana - Rumo a Castanhal ...

Caramba! Eu estou no Brazil. Já estou de volta e valeu a pena ter saído em busca de uma experiencia a mais para não andar de mãos vazias em meio a multidão.

Já sinto calor, voltei a saborear a comida Brasileira, ouço o povo falando portugues, na tv as mesmas noticias de sempre. Não irá demorar muito e a rotina tentará tomar conta fazendo-me esqueçer o que por varios dias pude experimentar.   



Maltratada, mas irá se recuperar ..... Suja e sem brilho.


Quase que de forma profetica escrevi essa musica há uns anos atras e agora terminou por se encaixar perfeitamente.

A estrada me chama
O vento me acomanha
A jornada é longa
O horizonte insiste em se afastar de mim.

Já não tenho memorias
Só mes restam lembranças
Esqueci de tudo
Quero lembrar de mim

Sozinho sigo estrada a fora
Minhas poesias, minhas canções
Eu levitando, pensamentos distantes
Solidão,, imensidao
Não quero sentrir o chão ...


Hoje joguei dinheiro fora. Havia comprado uma capa de chuva amarelinha, mas era muito ruim e passava agua. Como eu ja estava chegando ao Brasil, resolvi me livrar da capa e joguei fora a beira da estrada mesmo. Só nao lembrei de tirar uma grana que eu havia reservado para pagar a gasolina e a despesa do dia. Só percebi no proximo abastecimento.  uhuh!!!

Contei para um Argntino que estava de moto. Ele peguntou onde foi e eu contei direitinho. Pois ne que o danado foi atras da grana....   heheheh Tomara que tenha encontrado.

Amanhã é so seguir rumo a São Paulo e logo chegar em casa.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Carlos Casares - Rumo a Castanhal ...




Hoje não vi a neve, não senti frio, não caí sobre o gelo, não sofri nenhum ataque de Gygamalys; penso que eu estava quase a me acostumar com os desafios diarios propostos. O dia amanhecia e lá estava eu a pensar, qual será a nova proposta, será mais ou menos severa que a de ontem? Como somos adaptaveis tão facilmente. Quem sabe até conformados com o pouco que desfrutamos quando na verdade a nossa disposição há muito mais pelo caminho, basta sair e ir ao encontro que não muito longe encontramos um tesouro que pensavamos não existir. Um tesouro precioso escondido dentro de cada um nós. A descoberta é maravilhosa quando aprendemos que o quilometro a mais foi suficiente para nos mostrar que valeu a pena.

É, hoje não vi o semblante quase desfalecido, solicito por socorro, ofegante e tremendo onde o quilometro a mais logo se transformou em metros a serem conquistados lentamente, um a um. 

Sem nivelameto, a vitoria não tem valor algum, torna-se insípido. Temos que está a altura do desafio proposto. Mas como saber se estamos ou  não nivelados? Só ha uma maneira, é encarar e face a face sair a campo conquistando, explorando, transpondo os abstaculso que inesperadamente surgem sem aviso algum.

Hoje foi uma dia de sorrir, gargalhar, gritar, cantar, mas na vida, disse o sabio, há tempo para tudo. Tempo de juntar e tempo de espalhar, tempo de plantar e tempo de colher, para tudo um proposito, basta abrir os olhos da alma e lá, claro e nitido, veremos que não foi em vão. Valeu a pena ter caminhado aquele quilometro a mais. Sim, valeu a pena ter presenciado a agonia que logo se foi e cedeu lugar ao Homem que passava.

Nunca é tarde, o dia sem duvida algum é hoje. Ah! O primeiro passo, como é importante. É justamente esse primeiro passo que nos faz alcançar o cume da montanha que parecia tão longe, distante e imensuravel, intangivel, mas ao chegarmos ao topo, percebemos que somos bem maior, pois os pé tocam o ponto mais alto da montanha que nos fazia pequeno demais para enchergar a imensidão a ser conquistada.

Privilegiado? Sim! Pois sei que a grande multidão jamais pasará do sonho, na verdade devaneio tolo porque jamais se dispuseram a sair do porto seguro por puro medo; medo do vento, medo da chuva, medo do frio, medo do calor, medo de errar, medo de perder o que jamais tiveram. Contarão historias alheias a suas, de outrem, e assim viverão ilusoriamente. Vida efemera, transitoria, vida que não volta jamais, cheia de justificativas para melhor sabotar o direito a dadiva Divina que nos foi agraciada, o direito de viver. Passou!

Hoje não senti arrepios ....




quarta-feira, 30 de maio de 2012

Sierra Grande - Rumo a Castanhal ....





Hoje esperei o dia clarear para poder seguir viagem e não ser apanhado de surpresa no meio do gelo ainda escuro. Tomei minhas duas Pilulas, uma que faz crecer cabelo e outro que tira a barriga. Uma maravilha ...

Sai as 10 da manhã. Ja claro o dia, me apressei para pegar a estrada e a ideia era rodar uns mil quilometora hoje. Mas não fui muito longe, após uns 20 quilometros depois de Comodoro Rivadavia, tudo começou a ficar branco. Ai já me veio aquele calafrio, o trauma do gelo na pista. Não!! Não acredito que ainda vei ter gelo hoje.!? Sim! Gygamalys me falou em alto e bom som .... Desgraçado começou cedo.

Rapido, muito rapido tudo ficou totalmete branco e lá estava ele outra vez, o Gelo na Pista. A tal Escracha com dizem por aqui. Ai começa aquela negociação, rodar somente no trilho onde os carros já passaram.Um trilho da largura de um pneu de caminhão. Ali tem que rodar, mas sem garantia alguma. Se errar o trilho vai pro gelo e a derrapada é certa. Cara! Começou tudo de novo? Sim! Velocidade 5,10, 15 km/h. Não passa disso. Enquanto isso, os caminhos passam a todo vapor, jogando agua, gelo, neve, todo vem pra cima da viseira do capacete. Um caos total. A viseira ja embassa logo, os oculos seguem e eu sem poder nem parar. Já sabem como é, se parar, desliza a bota e chão.   heheheh

Rodei 90 quilometros nessa tocadinha, já lápor volta das 15:30 pensao eu, parei em um restaurante de estrada. Todo aquecido, fui logo me acomodando na beirinha do aquecedor. Olhei para os lados e já pensei, so saio daquei quando tempo melhorar. Até durmo já a tia deixar ....  hehehe

Logo enconstam os caminhoneiros que vem do Norte e pergunto como está, a resposta não podia ser melhor: Está tudo seco, daqui a uns 5 quilometros so tem a neblina, mas logo passa. é porque nos estamos em cima da serra e aqui é assim mesmo. Vibrei!!! Mais alguns quilometros e eu já teria passado a Geladeira ....

Assim foi, depois de alguns quilometros consegui finalmente percorrer meus ultimos 100 quilometrros em uma pista com muito gelo. Passei e logo apertei o passo ... Ainda consegui fazer 580 quilometros ate há poucos instantes quando chegeui ao hotel Sierra Grande.

Jantar? sim! Suermercado e comprei as goloseimas. Yogurte, pão, queijo, chocolate e janta pronta.

Agora é só esperar o dia amanhecer para dar continuidade na jornada. Mas finalmente acabou aparte da aventura no Gelo.

Comodoro Rivadavia - Rumo a Castanhal ...




Assim terminei o dia, as 11 da noite. Em cima de um caminhão e a moto lá atras. Pra completar ainda caiu ...

Quando eu pensava que a parte mais desafiadora já haiva passado, eis que me aparece gelo, a tal da Escarcha novamante. So que dessa vez foi louco mesmo. Não tinha onde e nem como parar. Sem abrigo desde Piedra Buena e San Juilian. Nada, nem uma casinha de sapé.

Perdi a conta de quantas quedas e tombos foram no dia. Na ultima me machuquei e ai fui salvo por um caiminhineiro que disse: "se ficar, morre" Caraca! Me deu medo, pavor, susto, tudo de uma so vez.O coração desparou e ai amigo, eu queria pagar o quanto fosse. Meu reino por um cavalo ....
Parar a moto era a coisa mais dificil do mundo. Não dava. A moto escorregava e la vai voce pro chao de novo. Até que seria mais facil  com uma moto de pneu com taco, acho que daria pra rodar no acostamento ou quem sabe uma motinha bem pequena.

Depois termino esse relato.To aqui passando um remedinho pra ver se levanto amanhã.

O sorriso na foto é só pra sair mais bunito....   heheheh  Mas eu tava bem abatido nessa hora.

Vou contar o passo a passo deppois.

Ex. Medo de ser assaltado pelo caminhoneiro.( eles conversaram baixinho, eram dois, um desceu com uma marreta. Pensei, esses caras querem me roubar mesmo e já tá com a marreta pra me acertar. Mas não, a marreta era para desmontar e destravar o tampao traseiro do caminhão. hihihihi) Os caras são gente fina mesmo ...

Medo de uma hipotermia, pois eu ficava muito tempo parado so recebendo o vento na cara. O Nariz sangou hoje. Medo de uma lesao interna na queda. Caraca ! Gygamalys fez a festa comigo hoje .... Buzinou muito no meu ouvido.

Sos nada - A muitos posts de SOS, para pedido de socorro. Acionei uns 6 e nada de resposta ...
Iria acionar o seguro, mas o caminhoneiro disse que demoraria muito e eu nao podia ficar ali parado.

A contagem era metro a metro e nao mais em quilometros.

O danado do Argentino na hora de subir a moto perguntou: Quem é melhor? Maradona ou Pelé? Claro amigo! Maradona é o melhor .... - Assim, agora vamos subir a moto dele.
Mais tarde ele fez eu gravar um video onde ele perguntava e eu resposdia - Maradona o melhor do mundo.    hihihihihihi
Isso o tempo todo me chamando de doutor, brasileiro filho da puta, queria morrer no gelo.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Piedra Buena - Rumo a Castahal ...

A nevasca me pegou de novo - Eu pensava que já tinha acabado, mas começou tido de outraa vez. Lindu!!!  rs 

O gelo se acumula por todos os lados na moto - O Parabrisa fica cheio e esse gelo escorre e vem direto na viseira do capacete. uhuh!!!  Isso foi hoje ....
 Fui fazer graça e quase congelo a cabecinha oca .... Depois demora um tantão pra conseguir recuperar a temperatura. rs rs rs

Mais uma de estradinha do fm do mundo. Caba não mundão ....


Saí cedo de Rio Gallegos na intenção de rodar uns mil Km hoje. Mas não demorou  muito e descobrir que algo estava errado. Tomou uma estrada errada e lá se foram alguns quilometros, mas logo acertei. Culpa do GPS ...   heheheheh

Dormi bem a noite na intenção de sair cedo mesmo e rodar muito pra recuperar tanto tempo parado por causa do BOM tempo de neve, gelo, a tal Escharcha na pista, frio e vento. Mas não fui muito longe não, so consegui rodar uns 220 km. A neve me pegou e a coisa mudou de rumo. Conforme eu avançava na estrada, mais neve cai e ai a pista ja fica uma graça. Mas já havia muito gelo espalhada por toda a pista. Atenção redobrada e nem no acostamento dava pra rodar, pois o gelo tambem tava firme e forte por lá. 

Logo se apresenta o trilema - Se acelerar muito, cai. Se ficar parado vai ficar ilhado em pouco tempo. O problema é que ta uma mistura de chuva, vento, neve e com isso o muito gelo na pista. Eles chamam de escarcha. Se voce ouvir alguem falar essa palavrinha, abra o olho e colha informação, porque nao dá pra rodar mesmo. 

A grande sacada dessa viagem a Ushuaia no inverno se chama paciencia. Sem paciencia vai dá tudo errado. Agora é torcer para amanhã a coisa mudar. Hoje eu pensava em um dia ensolarado, mas nada, muita chuva, neve, vento e gelo na pista.

Hoje fou um daqueles dias que tive que esquiar com a moto. Os pes no chão e ir tocando na maior lentidão. Eu ja havia passado por isso ha muitos anos atras, serviu a experiencia. Queria filmar, fotografar mais, mas bate um certo temor frente a situação. Eu estava a poucos quilometros da proxima cidade, Piedra Buena, mas rodava, rodava e quando ia ver, somente 5 ou 7 km eu havia conseguido. É lindu isso !!!!

Mas é isso, afinal, escolhi vir nessa epoca em que quase ninguem se apresenta como voluntario a aventura exatamente por essa razão, o desafio é enorme mesmo.  heheheh

Hoje cheguei no limite.....

Agora escolham:

1)- Calor
2)- Frio
3)- Vento 
4)- Neve
5)- Gelo na pista

Tirando o calor peguei tudo de uma vez só ....


Beleza, amanhã tem mais.


A duvida na viseira do capacete - Se deixar fechado, acumula gelo rapido. Se abre, entra gelo pela cara. E aindaa tem os oculos que fica lindo, embassado. Caraca! Isso é muito legal. As vezes bate um susto, mas é legal sim !!!!

Caramba! Passei a noite com muito frio, o aquecedor nao esquentava. Quando fui ver pela manhã as janelas estavam abertas mas encobertas pelas cortinas .....  Qeu coisa!!!

domingo, 27 de maio de 2012

Rio Gallegos - Rumo a Castanhal ....

Pintinho amarelinho?

 A travessia do estreito de Magalhães, mais uma vez. Já fiz essa travessia quatro vezes .. To ficando bom nisso.
Corrente liquida. Já que a moto não tem como colocar corrente normal, se usa essa ai. Serve somente para tirar o que eles chamam de Sal. Segura pouquissimo tempo e já precisa colocar de novo. É um spray grudento. Gastei uns dez fracos desse ai, mas mesmo assim não escapei dos tombos e uma queda fantastica, a mais linda de todas.  rs rs rs
A fotinha montada foi homenagem do Paulo da comunidade VMAS no orkut. Essa comunidade é a mais completa quando o assunto é moto viagem no orkut. Por lá tem de tudo em termos de informação. O povo ajuda mesmo. Legal!!!

A saida hoje foi tranquila de Rio Grande. Debaixo de muita chuva, mas muita mesmo. Olhei o tempo e lá fui eu com uma capa de chuva que molha tudo por dentro. A capa foi feita para molhar.

O dia todo hoje foi só de chuva, vento e frio. As tres coisas juntas pode se dizer que é de tremer a base. O vento hoje tava de arrebentar. 50 km/h para nao ter estrago. Fui só no leite de avestruz, bem devagarinho. A luva molhada, ficou tudo muito lindo. Mas o frio era uma besteira, só 6,0 e ainda positivo. Pode? Que raiva !!!

Como sempre gosto de uma banho antes de sair porque o dia todo sem banho nao dá. Mas hoje foi dificil. A mer... do chuveiro só esquentava e esquentava muito. Ai tive que pegar uma caneca que meu amigo Raimundinho me deu, toda charmosa em aluminio, e aos poucos pegava a agua, ela ja esfriava rapidinho e assim eu tomei todo meu banho com a canecada T-Parts Raimundinho.


Ripio >>> Esse dia foi de puro Ripio. A neve e o gelo que tinham acumulado no ripio, saiu todo com a chuvarada de hoje, ficou so a lama e eu andando na moto em pé mais uma vez. Ainda bem que passei tranquilo no Ripio com apenas algumas derrapadas mas tudo sob controle.

Nas aduanas da vida o povo sempre com as perguntas basicas. De onde vem? Para onde vai? Quanto pesa a moto? Vale quanto? Corre quanto? E eu mandando bala nas respostas. Já ta tudo decoradinho ... Mas como sempre de novo, todos querem saber porque eu vim me meter nesse lugar nessa epoca. Por que não no verãO? Perguntam eles. Eu respondo: porque no verão eu ja vim e nao tem graça alguma.   hihihih

As fotos agora já são normais, coisa do dia, dia. Se eu ficar mais um dia em Rio Gallegos, ai sim, a coisa já ta prevista, neve a rodo. Mas eu quero é me mandar amanhã cedo antes que ela me alcançe de novo. Chega!

A tocada continua lenta. Por enquanto ainda vou rodar poucos quilometors devido a chuva e o vento, mas depois de Trelew ja vai dar pra andar mais.

Agora enfrentar o vento castigador de Comodoro Rivadavia até Trelew, isso se tiver sorte e ele nao me alcançar desde amanhã. Mesmo porque hoje o vento tava assoviando muito forte.

Bom! Amanhã tem mais. Agora um banho, um café, jantar mais tarde e dormir pra ver o dia nascer feliz mais uma vez.

sábado, 26 de maio de 2012

Rio Grande - Rumo a Castanhal ...


O dia começou com 6,5 e ai ficou doido .... Levei umas tantas quedas no gelo tentando me livrar a cordilheira. Nem acreditava no que tava vendo no termometro.



Ai meu rio está a venda ...


Susto cedinho. Acordei e a ideia era ir até a Bahia La Pataia, mas a estrada estava totalmete fechada e a Policia nao deixava ninguem passar. Gelo demais na estrada e nao dava pra passar. O trator ainda estava tirando o gelo e jogando um liquido quimico que deixa a estrada mais escorregadia ainda.

Susto e um aflito de leve >>>  de manhã cedo fui funcionar a moto e nada, nem sinal. Nao fazeia nenhum barulhinho no motor de partida. Ai, já vem aquele monte de coisa na cabeça. Onde encontrar um mecanico que consiga resolver o problema. Chamei um taxi e o taxista ja foi logo dando a dica.O frio acaba com a bateria e sua moto dormiu sem abirgo. Vai ter que comprar outra ou com sorte recarregar. Mas vamos em busca de um mecanico. 
Peguei o taxi e saimos, mas o povo so começa a trabalhar la pelas dez ou dez e meia. Ai tiva a ideia de comprar um cabo e fazer uma chupeta com o carro do taxista. Ele se porpos a ajudar e ai comprei o tal cabo. deixamos uns quinze minutos e dai fui testando e nada. Mas percebi que o motor de partida ja dava sinal, então era bateria mesmo. Depois de algumas tentativas a moto finalmente pegou. uhuh!!! Vibrei ...

Saí de Ushuaia já por volta das 12:00h., esperando que o gelo ja tivesse saido da pista. O trator retira, abre a estrada e ai o povo começa a sair. Caminhao passa a todo vapor. Aff!!! Jogando neve pra todo lado,parece até areia da praia. 

O dia começou com 6,5 graus, mas ai fui subindo e começei a sentir um frio muito maior do que eu ja tinha esperimentado ate o momento, quado vi o termometro estava bem no topo da cordilheira com menos 22 graus. Me desesperei e apertei o passo, nao deu outra, a primeira quedinha do dia. Na verdade são tombos de leve, nao da pra correr mesmo. Mas so de tentar parar a moto, ja vai pro chão porque a perna nao segura, escorrega e ai é chao de novo.

Roando o dia todo consegui 220 kilometros bem corridos, sem chance nem de parar pra comer. Foi so rodando mesmo a 20 e 30 km/h. Essa é a velocidade maxima.Quando nao tem neve, ai tem gelo. Mas tudo isso acompanhado do vento sobrando e cantarolando. Agente ouve o assovio do vento como se fosse filme de assombração.   Aff!!   Mas foi lindo .... 

Cheguei a Rio Grande e agora a chuva aperta o passo. Chuva e logo em seguida neva .....  Mas a parte mais desafiadora já passou. Agora é so tomar cuidado que ainda tem muito gelo até Comodoro Rivadavia. Depois é correr pro abraço e chegar em casa pra contar as historinhas que não pude postar.

Pra completar perdi a capa de chuva e aqui nao sev acha de jeito nenhum. Somente capa de chuva de agricultor. Comprei logo a mimha e amanha já irei usar com certeza. Previsao de muita chuva e neve por essa regiao. Ainda tenho ripio cheio de gelo. Isso é dificicil mesmo.Vou tentar fazer em duas etapas ... Isso é, se coseguir hotel em San Sebastian.

Na travessia da cordilheira, a moto atolou varias vezes na neve. Sorte que tive foi a solidariedade dos Argentinos que sempre paravam e davam aquela força. Quando a moto começava a querer sair do trilho eu ja pensava, lá vai mais um tombo. uhuh!! Mas passei no teste sem nenhum arranhão e a moto intacta. Parece que foi preparada para isso.

Amanhã tem mais ......




Ushuaia - Rumo a Castanhal ....

Finalmente ai está - Missão parte I cumprida... Levei mais uma gigante ao extremo.




Assim começou o dia com 6 graus negativos - Em cima da moto isso fica uma maravilha.

Nunca na vida fui chamado tanto de louco, sem noção, quanto nessa viagem. "Mas voce está indo de moto no Inverno?" Essa era a pergunta que os proprios Argentinos faziam. A grande maioria tentava me desencorajar. Mas lá estava eu firme no meu alvo, focado na chegada a Ushuaia.

Impossivel não é, ai está a prova, mas também não se pode dizer que é facil. Como para tudo na vida a um preço a ser pago e esse preço não é financeiro, é um preço bem mais alto, mas que também retorna todo o investimento quadriplicado. Nenhuma das fotos tiradas tem preço, eu pagaria muito, mas muito mais mesmo para te-las comigo.

Feliz são aqueles que contam suas proprias historias e não as de outrem. A historia que um dia foi idealizada, sonhada, planejada, desejada; a sua propria historia. Quem se propoe a tal feito tem como recompensa o reconhecimento proprio. Fui capaz de idealizar e concluir o sonho. Um habito saudavel a ser posto em pratica, o habito da realização de sonhos. Não importa o tamanho, o importante é nós nos acostumarmos a ter lutado por nossos objetivos.

Aquilo que vi, senti, experimentei, ouviu, toquei; são experiencias que ficam guardadas, um tesouro sem medida, nenhum ladrão, nenhum malfeitor poderá me tomar. Essa é a vida fora do tubo, afinal que vida é essa que vive a grande maioria? Gente que acorda, come, bebe, dorme, assiste Tv e no dia seguinte o circulo vicioso já novamante a conduzir aquele que deveria viver a vida e não simplesmente passar por ela como mero expectador.

Autor de sua propria historia - Sonho é particularidade de muitos, realizações não, essas, somente poucos terminam por colocar em pratica o que um dia idealizaram.

Gagamalys, o grande malfeitor que vive dentro de cada um de nós, está sempre a espreita, esperando a hora exata em que irá atacar dizendo: Não é possivel, voce nao vai conseguir, para com isso não vale a pena, o sonho é grande demais para o seu tamanho.Ushuaia no inverno? Essa é uma missão impossivel. Quando Gigamalys não vem ele manda seus discipulos para fazer o trabalho sujo e tentar nos desencorajar. Durante o trajeto até aqui fui atacado violentamentee por essa malfeitor, mas de forma direta ele foi enxotado, escurraçado e mandado bem pra longe onde nem lembrança deve ficar.

Depois de uma grande queda no Gelo, voce para pensa, repensa e a melhor coisa a fazer é soltar uma boa gargalhada, levantar, sacudir o gelo acumulado na roupa e dizer: "Sigo em frente, agora mais forte do que nunca". Afinal, vitoria sem luta ainda não é vitoria.

Nem sucesso, nem fracasso, apenas resultados. Alguns são positivos, aqueles já esperados. Outros, negativos, são aqueles que não esperamos, mas que nos ensinam, fortalecem e nos colocam outra vez na rota correta.

Agora a missão II, seguir em frente e chegar em casa, muito maior, mais fortalecido por ter descoberto que os osbstaculoss impostos foram superados por uma força interior que muitas vezes descohemos que está dentro de cada um de nós. Os Limites para isso servem, para nos mostrar que podemos sim, basta começar a por em pratica, seja ele qual for o sonho. Sempre irá valer a pena se a alma não for pequena.

Agora sigo rumo a Castanhal ....




quinta-feira, 24 de maio de 2012

Rio Grande - Rumo a ushuaia ...

Assim começou o dia - 4 graus negativos. Manhã vou ver se rodo pelo menos 100 kms.  

O gelo não me deixa rodar e a internet não funciona. Cai o tempo todo, ta dificil atualizar o blog.....  Tem gelo até no ripio.

Essa ai é a parte do Ripio - Mas como é que roda assim? Amanhã vou tentar rodar pelo menos 100 km. Ainda faltam 220 até Ushuaia.

Atravessando o estreito de Magalhães. Materia da escola. Ocenos Pacificos e Atlanticos juntos.

To muito perto de Ushuaia, mas mesmo assim longe, sem poder chegar.

Hoje usei a corrente liquida - Trata-se de um produto que faz com que o Pneu tenha maior aderencia no gelo, mas mesmo assim é dificil ficar de pé. Da pra rodar 20 kms cada aplicação, depois para e aplica novamente.

Foi interessante hoje eu torcendo para a temperatura ficar em pelo menos zero grau. No estagio de congelamento pra mim estaria de bom tamanho. Nunca pensei que fosse desejar zero achando que estaria confortavel. Isso quando o termometro bateu 4 graus negativos eu ja tava no desespero. rs rs rs ... Mas logo a tmperaura melhorou e ficou variando entre 2 e 3 graus, mas negativos ainda.



quarta-feira, 23 de maio de 2012

Rio Gallegos - Rumo a Ushuaia ....

Até que enfim Rio Gallegos, mas também foi até aqui que deu pra ir hoje, 240 km. Na estrada tive que rodar 80 kilometros no acostamento, sem chance de rodar no asfalto e mesmo assim o acostamento é delicado. Um policial virou a camionete dele, não conseguiu segurar na camada fina de gelo, sabão puro. Pior é que  agente nem sempre ve, mas está lá presente. Dei uma darrapada hoje de leve e logo cai fora do asfalto, fui rodar no acostamento mesmo.

Troqueio o Pneu diateiro que comeu de um lado só, porque não sei o que aconteceu. Mas troquei assim mesmo. Há um risco grande do Pneu cortar no Ripio e assim já minimizei esse risco com um novo. A ideia do mecanico é esvaziar o Pneu, mas não sei se isso finciona mesmo. Talves eu faça isso. Ele atendeu um cara de uma Harley que cortou o Pneu o Ripio.

Amanhã so ha possibilidade de sair as 12 h, há não ser que mude o tempo e amanheça sem gelo por aqui. Não dá mais pra sair cedo. O inverno já começou e veio com tudo.

Sem coragem de procurar hotel tive que cair em um carinho hoje. uns 140 reaus ... Aff! Assim não dá.

Toda o asfalto tava assim - Puro gelo. Ai a moto não roda de jeito nenhum. 80 km no acostamento ... Dificil ficar em pé, pois a bota escorrega também.


Camioete de um Polical - Conversei com ele. Rodou e virou, segundo ele com 60 km/h

O Nome do Milagre - Quem tem Lysoform não precisa nem tomar banho. Esse limpa capacete, meia, jaqueta, cueca, luva. Retira todo o mal cheiro e mata as bacterias e demais associados. Ganhei um do Marcelo, mas acabou rapidinho. Tratei de comprar logo um novinho e ainda vou ver se levo pro Brasil um zeradiho.

Luva? Sim! Já comprei tres pares e estou usando os tres de uma só vez - Mas não resolve, continuo com as mãos geladas. Amanhã vou em busca de uma tal Luva Termica que dizem resolver de uma vez.

Agora é ver se cosigo comer uma lingua ao vinagrete - A lingua é gelada viu!!!


Tem mais historinha - Mas fica para o proximo livro.

Amanhã tem mais ....


Assim começou o dia - Um grauzinho negativo pra fazer sorvete de Paraense. Sorvete viu! Nada de Picolé ...